Caixa de Pássaros possui um clima aterrador e angustiante

A adaptação da obra literária do escritor Josh Malerman estreou na última sexta-feira (21) na Netflix.

Com uma verossímil atuação de Sandra Bullock, Caixa de Pássaros (Bird Box), desenvolve com êxito um ambiente claustrofóbico, temeroso e ameaçador. Além disso, na climática pós-apocalíptica, o longa aborda uma narrativa onde há uma espécie de entidade ou criatura – até então desconhecida – que, quando vista, causa intensas sensações de dor e tristeza despertando desenfreadamente motivações ao suicídio de forma instantânea.

Dentro do enredo, o destaque fica por conta da personagem Malorie interpretada pela atriz Sandra Bullock. Apesar da trama tensa e complexa, é extremamente fácil a sua imersão. A direção de Susanne Bier torna o filme um condutor de emoções intensas e angustiantes ao longo de toda a sua duração. Sensações que vão do medo a ameaça, que mesmo não sendo visto, é constantemente sentido, tirando o fôlego do espectador.

Mesmo com o uso da não linearidade na direção, o filme consegue conduzir positivamente a história, introduzindo flashbacks e momentos atuais dentro da trama que são gradativamente direcionados até o momento final da produção. A interação entre os personagens é um aspecto intrigante dentro do filme ao explorar diálogos que vão entre a compaixão, a necessidade de confiança e o espírito de sobrevivência entre ambos. Sandra Bullock assume o protagonismo em uma atuação veraz, logo nos primeiros dez minutos é notável a tensão contida no filme, com uma interpretação louvável em cena.

Para aqueles que estão acostumados a verem filmes que acercam a temática pós-apocalíptica, a produção pode aparentar não ser uma novidade, mas Caixa de Pássaros possui êxito em sua proposta de desenvolver emoções intensas a quem assiste, com uma história extremamente inteligente, sendo uma indicação ótima para quem está á procura de um bom suspense para ver na Netflix.

Etiquetas