Jogador N° 1: uma aventura futurística

Um mundo em jogo, a busca pelo grande prêmio. Você está preparado, Jogador Número 1?

O ano é 2044, e a Terra não é mais a mesma. Fome, guerras, e desemprego empurraram a humanidade para um estado de apatia nunca visto antes. Wade Watts é mais um dos que escapam da desanimadora realidade, passando horas e horas conectado ao OASIS, uma utopia virtual global que permite aos usuários serem o que quiserem; um lugar onde se pode viver e se apaixonar em qualquer um dos mundos inspirados nos filmes, séries, videogames e cultura pop dos anos 80.

Mas a possibilidade de existir numa outra realidade não é o único atrativo do OASIS. O falecido James Halliday, bilionário e criador do jogo, escondeu em algum lugar desse imenso playground uma série de easter eggs. E premiará com sua enorme fortuna e poder aquele que conseguir desvendá-los.

Wade acabou de encontrar o primeiro deles.

Após Wade chegar ao topo do ranking, as pessoas voltaram sua atenção novamente para a procura do easter eggm que depois de ficar anos e anos sem ninguém saber por onde mais procurar, levou a crer que esse concurso era apenas uma lenda. Através de enigmas, eles encontrariam os três portões e as três chaves que levam ao prêmio.

Watts acaba se juntando a outros caça-ovos (pessoas que dedicam sua vida para encontrar o easter egg): Art3mis, uma blogueira que é a sua “crush”; Aech, seu melhor amigo; Daito e Shoto. A vida desses cinco começa a ficar perigosa até mesmo fora desse mundo virtual, quando a empresa IOI, concorrente do OASIS, entra em cena para conquistar a herança e derrubar todo o trabalho de Halliday.

Os Seis era o apelido ofensivo que os caça-ovos tinham colocado nos funcionários da Innovative Online Industries (IOI). A empresa havia criado um novo departamento na empresa chamado “Divisão de Oologia”. Originalmente, Oologia era a ciência que estuda os ovos de aves, mas nos últimos anos havia ganhado um novo significado: a “ciência” que procura pelo Easter Egg de Halliday, cujo propósito é vencer o concurso do criador do game, colocando as mãos na fortuna, na empresa, e até no próprio OASIS.

O que seria uma espécie de apocalipse cibernético, pois começariam a cobrar uma taxa mensal para o acesso à simulação e colocariam anúncios por todos os lados — o que mais deixa os caçadores e os demais usuários do jogo horrorizados. O anonimato e a livre expressão do usuário tornariam-se coisas do passado.

Como dito no começo da matéria, o livro é recheado de referência aos anos 80, cenários, arcades, filmes, músicas, sendo difícil encontrar uma página sem estes signos. Na minha opinião, achei isso incrível, uma verdadeira ode à década, além de ser um prato cheio para os nerds de todo o mundo.

Apesar do livro ter sido lançado por Ernest Cline em 2011, virou um grande fenômeno no meado de 2015 quando, finalmente, o diretor da adaptação para as telonas foi anunciado: Steven Spielberg. O próprio, no segundo semestre de março, deste ano, tinha dito que não conseguiu licença para usar referências de Star Wars no filme. Mas por volta de uma semana depois, ele voltou atrás e confirmou a existência de referências à franquia.

Agora, nos resta esperar até a estreia da adaptação para saber quais personagens deste e muitos outros universos poderemos ver. Para além disso, Ernest Cline confirmou que Jogador N°1 ganhará uma sequência! O anúncio foi feito durante uma transmissão no Facebook, e Cline diz que está se inspirando no filme de Steven Spielberg para escrever o segundo volume dessa história. O autor disse:

“Não há inspiração melhor para um escritor do que retornar a um mundo que você trabalhou depois de ver o que Steven Spielberg trouxe para este mundo”.

Imagine o quão rica será a adaptação, caso Spielberg atente-se a esses detalhes, o que já podemos ter uma breve e amistosa noção do que virá. E você, já leu o livro? Fica a super dica para sua próxima leitura, e não deixem de conferir o filme que estreia quinta-feira (29) nos cinemas.

Confira o trailer abaixo.

Etiquetas